Quarta-Feira, 12 de Junho Paraguaçu Paulista 30ºC - 14ºC veja mais

A luta para combater a violência contra as mulheres e o debate sobre o decote de uma vereadora

09/01/2021 - Vanes Generoso tem sido alvo de comentários ofensivos e discursos de ódio por causa da roupa


A luta para combater a violência contra as mulheres e o debate sobre o decote de uma vereadora

A luta para que as mulheres alcancem seu espaço na política parece longe de se tornar ideal, apesar de todos os avanços nos últimos anos.

Já tivemos uma mulher na presidência da República, dezenas de mulheres no Senado e Câmara dos Deputados e em Paraguaçu Paulista, uma mulher no Executivo e inúmeras vereadoras ao longo da história.

Atualmente, quatro mulheres ocupam o legislativo e apesar da importância dessa representatividade no município, o que vem chamando a atenção nas redes sociais a alguns dias são os ataques de conteúdo misógino que uma das vereadoras vem sofrendo.

Vanes Generoso tem sido alvo de comentários ofensivos e discursos de ódio, proferidos inclusive por outras mulheres, por causa do decote usado por ela na Sessão de Posse ocorrida no dia 1° de Janeiro.

O mais triste é que isso não é uma novidade no Brasil. Em 2019, a deputada estadual Ana Paula da Silva sofreu ataques nas redes sociais e fora delas por conta da roupa usada durante a cerimônia de posse na Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

Em um país onde ainda imperam o machismo e a violência contra a mulher é lamentável ver que o comprimento da roupa ou o decote de uma mulher chamam mais a atenção do que suas idéias e ideais.

Vanes Generoso é empresária renomada, casada, mãe de um filho adolescente. Empoderada, é também conhecida por seu estilo ousado e autêntico de ser e se vestir. Ela veste o que quer. E é assim que deveria ser com toda mulher. Mulher pode fazer e ser o que ela quiser. É essa a luta que as mulheres vem defendendo com unhas e dentes ao longo dos tempos.

Como combater o machismo e a misoginia em um ambiente onde mulheres, algumas delas que se intitulam feministas, agem com esse viés de agressividade usando como o argumento a vestimenta de uma colega.

Mulher pode vestir o que quiser, defendam essa ideia.

Quando uma mulher é agredida, seja física ou verbalmente, todas as mulheres sangram. Quando uma mulher é agredida por outras mulheres, toda a sociedade é de certa maneira, açoitada e a luta feminina por um mundo de igualdade, justiça e o direito de ser livre caminha na direção contrária.

Então vistam seus decotes, suas minissaias, passem seus batons vermelhos e segurem nas mãos umas das outras. Sejamos mulheres que levantam outras mulheres!

Vanes durante a Sessão de Posse, no dia 1º de janeiro de 2021, na Câmara Municipal.

 

(Texto de Denise Moreira)



MAIS NOTÍCIAS

Pesquisa quebra mito de que dinheiro não traz felicidade

Uma pesquisa americana e de um site de relacionamento diz completamente o contrário

Feirão de negociação de dívidas da Sabesp vai até sábado, dia 15

Mutirão acontece em todos os municípios atendidos pela Companhia

Tradicional Festa Caipira da Casa Lar será nos dias 6 e 7 de julho

Evento terá música ao vivo, quermesse, almoço e leilão de gados.

Energisa investe em melhorias no sistema elétrico da região

Cronograma desta semana contempla serviços de manutenção na rede

Ônibus Circular gratuito de Quatá atinge marca de 64 mil passageiros em 8 meses

O transporte gratuito é uma opção prática e segura para deslocamento dentro da cidade.

Ministério Público do Estado de São Paulo denunciou suspeita no caso dos perfis falsos em Paraguaçu

Uma das envolvidas aceitou o pagamento de multa; outra foi denunciada e responderá criminalmente.

Departamento Municipal de Esporte e Lazer abre inscrições para aulas de natação em Paraguaçu

Vagas são para crianças de 8 a 11 anos e para a comunidade em geral

Escritoras de Paraguaçu Paulista participam de Encontro Mundial de Literatura

Valdina e Valdineia possuem vasto currículo literário

Marque #tvparaguacu
ANUNCIE DIVULGUE