Segunda-Feira, 19 de Abril Paraguaçu Paulista 27ºC - 21ºC veja mais

A luta para combater a violência contra as mulheres e o debate sobre o decote de uma vereadora

09/01/2021 - Vanes Generoso tem sido alvo de comentários ofensivos e discursos de ódio por causa da roupa


A luta para combater a violência contra as mulheres e o debate sobre o decote de uma vereadora

A luta para que as mulheres alcancem seu espaço na política parece longe de se tornar ideal, apesar de todos os avanços nos últimos anos.

Já tivemos uma mulher na presidência da República, dezenas de mulheres no Senado e Câmara dos Deputados e em Paraguaçu Paulista, uma mulher no Executivo e inúmeras vereadoras ao longo da história.

Atualmente, quatro mulheres ocupam o legislativo e apesar da importância dessa representatividade no município, o que vem chamando a atenção nas redes sociais a alguns dias são os ataques de conteúdo misógino que uma das vereadoras vem sofrendo.

Vanes Generoso tem sido alvo de comentários ofensivos e discursos de ódio, proferidos inclusive por outras mulheres, por causa do decote usado por ela na Sessão de Posse ocorrida no dia 1° de Janeiro.

O mais triste é que isso não é uma novidade no Brasil. Em 2019, a deputada estadual Ana Paula da Silva sofreu ataques nas redes sociais e fora delas por conta da roupa usada durante a cerimônia de posse na Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

Em um país onde ainda imperam o machismo e a violência contra a mulher é lamentável ver que o comprimento da roupa ou o decote de uma mulher chamam mais a atenção do que suas idéias e ideais.

Vanes Generoso é empresária renomada, casada, mãe de um filho adolescente. Empoderada, é também conhecida por seu estilo ousado e autêntico de ser e se vestir. Ela veste o que quer. E é assim que deveria ser com toda mulher. Mulher pode fazer e ser o que ela quiser. É essa a luta que as mulheres vem defendendo com unhas e dentes ao longo dos tempos.

Como combater o machismo e a misoginia em um ambiente onde mulheres, algumas delas que se intitulam feministas, agem com esse viés de agressividade usando como o argumento a vestimenta de uma colega.

Mulher pode vestir o que quiser, defendam essa ideia.

Quando uma mulher é agredida, seja física ou verbalmente, todas as mulheres sangram. Quando uma mulher é agredida por outras mulheres, toda a sociedade é de certa maneira, açoitada e a luta feminina por um mundo de igualdade, justiça e o direito de ser livre caminha na direção contrária.

Então vistam seus decotes, suas minissaias, passem seus batons vermelhos e segurem nas mãos umas das outras. Sejamos mulheres que levantam outras mulheres!

Vanes durante a Sessão de Posse, no dia 1º de janeiro de 2021, na Câmara Municipal.

 

(Texto de Denise Moreira)



MAIS NOTÍCIAS

Apenas 12% da população de Paraguaçu Paulista foi vacinada contra a Covid-19

No ranking da vacinação no estado, cidade consta na posição 437º, com pouco mais de 5.500 imunizados

Idosos de 65 e 66 anos recebem a vacina contra Covid nesta terça em Paraguaçu

Primeira dose da vacina nesse público ocorrerá por meio do sistema Drive Thru, das 8h às 12h.

Programa Cidade Limpa não é eficaz para o combate a dengue em Paraguaçu, segundo a Prefeitura

Vigilância em Saúde quer instituir uma educação permanente na população

Vereadores se reúnem nesta segunda-feira, 19 de abril

Sessão Ordinária continua ocorrendo mais cedo, às 17h, e sem a presença de público.

Missas presenciais são retomadas com público reduzido em Paraguaçu Paulista

Celebrações estão sendo retomadas presencialmente em todas as igrejas católicas da cidade.

Prefeitura cria Plantão Social em Roseta e Conceição

Os locais já foram definidos e devem ser ativados assim que os trabalhos retornarem à normalidade.

Poupatempo retoma atendimento presencial a partir de 24 de abril

A medida faz parte das iniciativas da Fase de Transição do Plano São Paulo.

Pacientes deixam de realizar procedimentos durante a pandemia

Com o aumento da pandemia de coronavírus a procura por exames de mamografia caiu.

ANUNCIE DIVULGUE